PAULO FONTENELLE DE ARAUJO

 -  - PAULO FONTENELLE
Total Visualizações: 7096
Texto mais lido:
DELÍRIO DE PEIXE - Total: 104
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 992
10 Autores mais recentes...
HILTON MARCOS DE OLIVEIRA
WAGNER PAULON
GISELE NEGRO DE LIMA
ALEXANDRE DORNELES DE BRITO PINNA
SALETI HARTMANN
ELIZABETH PEREIRA DA SILVA
ELLENDRA VALENTINE
ONIVAN BARBOSA PANTOJA
THALLES CAKAN
ADALTO FREITAS
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 1210291
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 226995
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 110054
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 80678
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 80450
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 43433
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 28428
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 27839
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 25705
385 ANDRADE JORGE
ANDRADE JORGE
Total: 23195
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 75
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

CERTAS ÓRFÃS


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

A órfã,
aquela sem pai e mãe
(ambos mal sorriem,
já fantasmas perfeitos),
enquanto espera a adoção,
arranha as próprias costas,
tortura duas bonecas
e cheira fundo, quando passa,
a fumaça do caminhão.

A órfã
aquela sem pai e mãe
enquanto espera a adoção,
pensa que tem uma graça maior,
do que o orfanato católico.
no entanto, ela morde o lençol
tortura as bonecas
e cheira fundo quando abre
a naftalina do armário.
A órfã
a menina sem casa,
enquanto espera a adoção calcula,
talvez em três milhões de anos,
os arqueólogos encontrem
seu esqueleto pelos canos.
e quando estudarem dirão:
“Ela era especial,
mesmo sendo de outra espécie:
das orfanadas,
do gênero sapiens que ninguém soube
que ela esteve internada”.

A órfã,
dos doze aniversários e tão só,
enquanto espera a adoção imagina,
seus novos pais serão,
um casal bonito assim
de um lar bonito assado,
embora a menina diga que aceita
também casal cru,
de lar mal passado,
onde pai e mãe,
tão pálidos sem uma filha,
a colocariam na mesma mistura,
e na mesma farinha.

Uma das bonecas somente torce:
“Quando cessará?
Findará um dia?
Não chegará ao extremo,
a recorrência de minha enorme mutilação?”

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login.
08/08/2018 12:19:02
Reflexivo e Triste Poema "É bom ser Órfão do que ter morrido dentro ou de um Ventre sofrido de uma Mãe e Pai que gozarão ou não antes da Minha Fecundação" //// Paz e Bem Poeta !
Comentado por: EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTOData Cadastro: 08/08/2018 12:19:02

Mais textos de PAULO FONTENELLE DE ARAUJO:
A ALMA SURDA Autor(a):
A BELEZA, QUARTA DIMENSÃO Autor(a):
A CIDADE POSSÍVEL Autor(a):
A DESCONSTRUÇÃO Autor(a):
A FORMIGA ALHEIA Autor(a):
A LISTA Autor(a):
A MÁQUINA DO TEMPO Autor(a):
A MULHER DO LOUCO Autor(a):
A MÚMIA Autor(a):
A PRIMAVERA DAS FADAS Autor(a):
A SONDA AMERICANA VOYAGER I Autor(a):
A TEVÊ LIGADA Autor(a):
ALGUMAS PRINCESAS Autor(a):
ALMA SURDA Autor(a):
AMOR AOS DOZE ANOS Autor(a):
AMOR ATO CINCO Autor(a):
AMOR ATO DEZ Autor(a):
AMOR ATO DEZESSEIS Autor(a):
AMOR ATO OITO Autor(a):
AMOR ATO ONZE Autor(a):
AMOR ATO SEIS Autor(a):
AMOR ATO TRÊS Autor(a):
AMOR ATO UM Autor(a):
ANÚNCIOS BRANCOS Autor(a):
AQUI SE MORRE DE CÂNCER Autor(a):
AS CRIANÇAS DO GENERAL MÉDICI Autor(a):
AS MARCAS Autor(a):
AS MENINAS Autor(a):
ATERRISSAGENS Autor(a):
ATRÁS DE MIM Autor(a):