TÂNIA DU BOIS

212 -
Total Visualizações: 19223
Texto mais lido:
A ARTE DE FAZER EXISTIR O FIM - Total: 424
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 323
10 Autores mais recentes...
VALERIA BRITO BULHOES ROCHA
SUELEN LUIZ DE OLIVEIRA
EDENICE SANTOS DA SILVA
LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA
DIONILDO DANTAS
VALMIR APARECIDO SAMBO
WALLACE MARINS
DEIVID
IVONE DETTMANN GONCALVES
HERBERTEEN SANTOS
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 3654641
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 481381
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 476211
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 464611
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 237119
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 147152
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 129411
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 69572
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 60731
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 59008
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 298
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

A COR do INVISÍVEL (I)


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

para Honorina

A cor do invisível se transforma em tons, que vão da arte aos sentimentos e dão o toque final no equilíbrio e na medida certa para se redesenhar o cotidiano, nas expressões poéticas, nos traços na tela e nas imagens fotográficas. Nas palavras de Francisco Mello Garcia, “... Poeta é igual a um pintor / Ou de quem faz escultura, / sem pincel tela ou bronze / Diz no verso o que procura, / Mesmo sem tinta nenhuma pinta arco-íris nas alturas. / E mesmo sem aparecer / Põe as cores na figura...”.
A mistura de tons, em versões variadas dá detalhe inusitado ao jogo dos opostos, com movimentos e traços que refletem a importância da fotografia para cada pessoa.
A foto mostra o ontem no hoje, como beleza sedutora do tempo e o (re)construir a cor invisível em visível. As chances estão no momento do click, como saudade expressada na cor do invisível, na sensação de poder voltar no tempo; de trazer em tons vibrantes a uniformização dos efeitos sobre os sentidos. Segundo Helena Rotta de Camargo, “Faço questão de refletir sobre o passado, que isso me energiza para os embates do presente”.
Fotografias exercem poderes mágicos quando nelas reencontramos a alegria daqueles instantes. Colorem nossos pensamentos e nos garantem menos danos à vida. Francisco M. Garcia expressa, “... O meu receio é ser preso / Por uma verdade dita, / Pois tantas ficam ocultas /... Algumas se vê à cores...”
A cor do invisível é uma das formas para repensarmos as emoções, por que se revela em tons pessoais. Por vezes, até o vento se apresenta sem alteração, trazendo a fragrância do momento apreendido, significando que a foto tem o poder de reconstruir e influenciar o no estilo de vida. Ressalvo que há tons para se considerar, que interferem na nossa maneira de se expressar, como desejo permanente da cor do invisível. Tais tons são segredos que carregamos e nos permitem descobrir qual a tonalidade certa para cada saudade. A intenção é de dar tons à cor do invisível no espalhar sensações do bem viver e preencher a solidão, como em Jabs Paim Bandeira, “como são doces minhas lembranças que iluminam minhas noites. Embora você tendo partido, continua presente e vivendo em mim”.
As fotos expostas nas casas emolduram nossas vidas; por vezes, conversamos com os personagens indeléveis e lembramos-nos de fatos historiados, com que transformamos a cor do invisível no tom do coração, vibrante.
Revivemos no tempo de vivenciar, imaginar, olhar para as fotos e indagar, quantas eram as cores? Emoção que nos leva lembranças boas e más, abrindo horizontes em que nos apoiamos e dividimos o espaço, sinalizando, reforçando e reconhecendo que cada um procura pelo incentivo de que precisa para passar seus repetidos dias. A vida fica mais leve com os retratos expostos e presentes, por que ganhamos o mundo sempre que fazemos do invisível um desafio prazeroso.

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de TÂNIA DU BOIS:
100 ANOS?!?! Autor(a):
A arte da Escolha Autor(a):
A arte da SIMPLIFICAÇÃO e a beleza da SIMPLICIDADE Autor(a):
A ARTE DE FAZER EXISTIR O FIM Autor(a):
A ARTE DE FAZER EXISTIR O FIM Autor(a):
A BUSCA da BELEZA Autor(a):
A CARTA Autor(a):
A casa Autor(a):
A CIDADE Autor(a):
A COR do INVISÍVEL ( II ) Autor(a):
A COR do INVISÍVEL (I) Autor(a):
A IMAGINAÇÃO É SUFICIENTE PARA DESCREVER O MUNDO? Autor(a):
A INTENÇÃO E O FEITO Autor(a):
A LINGUAGEM da DIFERENÇA Autor(a):
A LINGUAGEM da DIFERENÇA Autor(a):
AFETIVIDADE e EFETIVIDADE: torna real a relação? Autor(a):
AGONIA Autor(a):
AMAR Autor(a):
AMORES versus HORAS Autor(a):
ARROGÂNCIA ou IGNORÂNCIA Autor(a):
ARTE: Discussão Literária Autor(a):
ARTE: VOCAÇÃO E PAIXÃO Autor(a):
AS APARÊNCIAS ENGANAM Autor(a):
AS MÃOS Autor(a):
ATRÁS DA NOITE Autor(a):
AUTÓGRAFOS Autor(a):
AVESSO A MÁS NOTÍCIAS Autor(a):
BANDIDA MALDADE Autor(a):
BOM COMPORTAMENTO Autor(a):
CARLOS PESSOA ROSA, em palavras Autor(a):
Banner aniversariantes

Aniversário Hoje

Aniversariante de Hoje DALILA DO NASCIMENTO DOS SANTOS
Aniversariante de Hoje MOISÉS ANTÓNIO