SILVIO DUTRA

 -  - SILVIO DUTRA
Total Visualizações: 6294
Texto mais lido:
Há Alguma Coisa Difícil Demais para o Senhor? – P 2 - Total: 264
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 286
10 Autores mais recentes...
ALEXANDRE DORNELES DE BRITO PINNA
SALETI HARTMANN
ELIZABETH PEREIRA DA SILVA
ELLENDRA VALENTINE
ONIVAN BARBOSA PANTOJA
THALLES CAKAN
ADALTO FREITAS
PERGENTINO JUNIOR
MARIA DO SOCORRO DOMINGOS
PAOLA CAMILA DOS SANTOS ESQUIVEL
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 1197876
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 225608
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 109994
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 79902
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 78610
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 43065
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 28210
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 27680
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 25566
385 ANDRADE JORGE
ANDRADE JORGE
Total: 23099
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 98
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

Há Alguma Coisa Difícil Demais para o Senhor? – P 1


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892)
Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra
“Então, veio a palavra do SENHOR a Jeremias, dizendo: Eis que eu sou o SENHOR, o Deus de todos os viventes; acaso, haveria coisa demasiadamente maravilhosa para mim?” (Jeremias 32:26, 27)
Este método de questionar a pessoa a ser instruída é conhecido pelos professores como o Método Socrático. Sócrates era conhecido, não tanto por declarar um fato, como por fazer uma pergunta e extrair pensamentos daqueles a quem ele ensinava. Seu método havia sido muito antes usado por um professor muito maior. Colocar perguntas é o método frequente de instrução de Jeová. Quando o Senhor respondeu a Jó do turbilhão, foi com uma série de perguntas. “Conheces as ordenanças do céu? Você pode definir o seu domínio na terra? Você pode levantar sua voz para as nuvens, para que a abundância de águas possa cobri-lo? Você pode enviar relâmpagos para que eles possam ir e dizer-lhe: Aqui estamos nós?” E assim por diante. Perguntas do Senhor são muitas vezes as afirmações mais fortes. Ele nos faria perceber sua certeza absoluta. Elas são colocadas nesta forma particular porque Ele nos faz pensar sobre Seu grande pensamento, e confirma isto por nossas próprias reflexões. O Senhor brilha sobre nós na questão, e nossa resposta é o reflexo de Sua luz. O Infalível desafia uma contradição ou mesmo uma dúvida. “Há algo muito difícil para Mim?” É a maneira mais forte de dizer que nada pode ser muito difícil para Ele, pois proclama desafio ao céu, e à terra e ao inferno, para produzir uma dificuldade que possa confundir o Senhor. Portanto, convido-os, queridos amigos, a repassarem a questão em sua mente até que a onipotência de Jeová seja seu único pensamento absorvente. Você não pode pensar em nada que torne necessário colocar uma nota de rodapé no texto. Pesquise bem e veja se precisa de qualificação. Veja se há uma exceção à regra da onipotência absoluta. Revolva a pergunta divina por muito tempo e bem - “alguma coisa é muito difícil para mim?”. Seus pensamentos podem estar despertos neste momento! Que a verdade do texto tome posse de suas mentes e encha-as com sua fragrância mesmo quando o vaso de unguento da mulher encheu a sala com seu perfume!
I. Vou pedir-lhe em primeiro lugar que considere a maravilhosa questão do nosso texto que o Senhor colocou ao profeta, VISUALIZANDO-O COMO NECESSÁRIO. A expressão dessas palavras não era supérflua; havia necessidade delas serem faladas. A carne é fraca, e mentes mortais são esquecidas, e Jeremias, tão grande como ele era, era apenas um homem. Era necessário contar isso ao profeta, embora ele soubesse disso. Ele nunca duvidou que o Senhor é Todo-Poderoso, e ainda assim era necessário que o próprio Jeová falasse em casa essa verdade para sua mente e coração. Muitas vezes é necessário que o próprio Senhor introduza a verdade na mente do Seu servo mais fiel. Ninguém pode ensinar como o Senhor ensina. A verdade nunca é totalmente conhecida pelos filhos de Sião até que o Senhor a ensine a eles, por isso está escrito: “todos os teus filhos serão ensinados pelo Senhor”. Aprendemos muito de muitas maneiras, mas não aprendemos nada vital e praticamente até o Espírito de Deus se tornar nosso professor. O Deus da verdade deve nos ensinar a verdade de Deus ou nunca a aprenderemos. Jeremias conhecia essa verdade em sua alma mais íntima; veja o décimo sétimo versículo deste capítulo: “Eu orei ao Senhor, dizendo: Ah! Senhor Deus! Eis que fizeste o céu e a terra com o teu grande poder e braço estendido, e não há nada muito difícil para ti.” Ele expressou a verdade admiravelmente, e ainda assim o Senhor achou necessário dar-lhe uma revelação divina especial, para impressioná-lo mais plenamente em seu coração. Irmãos, uma coisa é saber que tal doutrina é verdadeira e outra coisa é conhecer a verdade em si. Precisamos ser persuadidos de modo a abraçá-la. É uma coisa gloriosa ver a verdade brilhar como se estivesse escrita em letras de fogo. Estamos muito inclinados a colocar a verdade no nosso credo e, depois, a afastá-la do uso prático diário. Acreditamos nisso, e devemos ficar indignados se alguém contestar isso, e ainda assim ignorarmos isso.
A verdade colocada na prateleira é tão boa quanto desconhecida.
As doutrinas que são disputadas muitas vezes têm mais influência sobre a comunidade, porque são trazidas claramente à mente dos homens e, sendo trilhadas, produzem semente para o semeador e pão para o comedor. Lemos em uma das epístolas: “Eu te relembro essas coisas, embora você as conheça e esteja estabelecido na verdade presente.” Há um provérbio que diz que “A verdade é poderosa e prevalecerá”. Isto é verdade, até onde vai, mas a verdade pode ser formalmente admitida e então pode ser deixada de lado, e assim nunca pode prevalecer. É um mal tratar uma verdade como um grande rei egípcio, envolto em linho fino, embalsamado de especiarias preciosas e pomposamente colocado no túmulo com outras múmias honrosas. O Senhor não teria a verdade da Sua própria onipotência assim tratada, e, portanto, Ele sai de seu lugar secreto e fala pessoalmente ao seu servo, dizendo: “Há algo muito difícil para mim?” Que o Senhor faça o mesmo conosco em referência às preciosas verdades do seu evangelho! Que o próprio Espírito Santo tome das coisas de Cristo e as mostre para nós; então as veremos em sua própria luz e as conheceremos como realidades divinas! Mas eu vou um passo além, e digo, que é necessário que sejamos assim especialmente instruídos, embora conheçamos uma verdade bem o suficiente para suplicar em oração, como Jeremias fez quando clamou: “Não há nada muito difícil para ti.” Não é um mau estudioso nas classes de Cristo aquele homem que aprendeu a lidar com verdades bíblicas quando implorava ao Senhor.
Oh, que nós usemos mais argumentos em oração! Orações são fracas quando faltam alegações. “Tragam as vossas fortes razões, diz o Senhor.” Os nervos da oração são os argumentos sagrados que instamos com o Senhor, tais como as suas próprias promessas e as nossas grandes necessidades, a sua própria glória, a sua aliança, a malícia do inimigo. e assim por diante. Conhecemos bem as grandes verdades quando vemos sua atitude para com Deus em súplica, e, ainda assim, embora possamos suplicar em oração, podemos nem mesmo então conhecer plenamente a verdade. Ó homens de Deus, vós que sois pais em Israel, que o Espírito Santo ainda vos ensine até conhecer todo o poder e a plenitude da sua verdade. Em humildade de espírito, não duvido que você ainda chore - “Eu me considero um aprendiz ainda, instável, fraco e apto a deslizar.” Que o Consolador continuamente traga à sua lembrança as coisas que Jesus lhe contou, até que você conheça o coração e alma delas.
Vocês que são mães graciosas em Israel, que Deus se revele a vocês mais e mais, e até mesmo aquelas verdades que você já invocou em seu quarto, que Ele ainda faça com que percebam ainda mais vividamente. Que você possa tecer cânticos e orações da verdade de Deus. Esta verdade de Sua onipotência, que Ele venha e fale aos nossos corações como Ele fez ao coração de Jeremias: “Eis que eu sou o Senhor, o Deus de toda a carne: há algo muito difícil para Mim?” Mas eu ainda devo ir um passo à frente. É necessário que Deus revele a verdade individualmente a cada um de nossos corações, embora possamos ter agido de acordo com ela.
Jeremias agiu no fato de que nada era muito difícil para Deus. Ele tinha muito pouco dinheiro e, em dias de fome e pestilência, o dinheiro era muito precioso. Um bocado de pão valia a pena durante o cerco. O pobre Jeremias não tinha muitos shekels, e esses shekels seriam todos desejados de um jeito ou de outro pelas necessidades da vida, e ainda assim ele contara na balança o preço de um pedaço de terra em Anatote, o qual ele provavelmente nunca veria, muito menos aproveitaria. O Senhor havia lhe pedido que o fizesse e ele o fizera sem objeção.
Amado, é uma grande coisa ser uma criança diante de Deus, inquestionavelmente obediente à vontade de nosso Pai. Podemos não calcular consequências nem estimar dificuldades; devemos fazer o que o Senhor nos diz, como Ele nos diz, quando Ele nos fala. Ó você, Jeremias, é - "Não é para você raciocinar, Seu preço a todo custo para comprar". Jeremias não duvidou, debateu, nem mesmo atrasou. Ele assinou a escritura e teve o cuidado de preservá-la adequadamente. Se você vir alguma dificuldade, obedeça primeiro ao Senhor e procure uma explicação depois, pois assim o profeta o fez. Ele obedeceu na plena confiança de que nada era muito difícil para Deus. Depois de sua obediência, ele começou a olhar para o que ele havia feito e a ficar consideravelmente desorientado, enquanto tentava entender como Deus justificaria o que Ele havia feito. O próprio Elias era fraco, embora tivesse tomado os profetas de Baal e os matado diante do Senhor, mas a fraqueza veio depois do conflito, e não antes dele. Este é o melhor momento para desmaiar, se desmaiarmos. Ele era o profeta do fogo, um homem de firmeza de ferro para o seu Mestre, mas depois que a forte excitação passou, ele foi vencido, e era necessário que seu Senhor o revivesse. Os melhores homens são os melhores homens. Se o Senhor te eleva à pureza e dignidade de uma fé infantil, você terá seus momentos em que vai chorar: “Senhor, fala comigo de novo, mesmo estando fora do redemoinho, e deixe-me sabe que fiz todas estas coisas de acordo com a tua palavra, e não segundo a minha própria fantasia ”. Até a prática da verdade não nos levanta acima da necessidade de tê-la repetidas vezes para a alma.
Assim, vejam, nosso gracioso Deus aplica aos nossos corações a verdade que conhecemos, a qual defendemos e praticamos, para que ela possa vir ainda mais plenamente em nossa alma e permanecer nela. Outra necessidade para isso surge de outras manifestações com as quais devemos ser favorecidos. Deus fez com que Jeremias conhecesse Sua onipotência até agora, mas ele deveria ver ainda mais disso.
A fé levou você a lugares maravilhosos, mas há coisas maiores diante de você, e o Senhor pressiona a verdade sobre você para que você possa receber mais delas.
Você já escalou uma montanha? Um amigo meu, quando entre os Alpes, afirmou com confiança que poderia chegar ao topo de uma certa montanha em meia hora. Certamente parecia muito perto de nós, mas meu olho tinha sido melhor educado para estimar as distâncias entre as montanhas, e assegurei-lhe que isto tomaria dele todo o dia para ficar em cima dessa crista. O fato é que, quando você sobe uma colina rígida, você se vê obrigado a descer a um vale antes de enfrentar a próxima subida. Há colinas acima das colinas e uma cimeira é uma espécie de mirante de onde você vê que tem muito mais para onde ir. Aquilo que parecia uma parte do lado da colina pode ser realmente uma montanha por si só, e quando você subiu, você tem o privilégio de ver que você está agora no fundo da próxima. De fato, apesar de você estar decididamente mais alto, muitas vezes parece que você está mais longe do que quando começou. É exatamente assim com nossa experiência das coisas divinas; quando conhecemos o Senhor ao máximo de nossa capacidade, essa capacidade aumenta e começamos a aprender novamente. Sabemos mais e, por essa mesma razão, estamos muito mais conscientes da nossa ignorância do que estávamos no começo. O próprio Senhor veio ao seu servo Jeremias e assim preparou-o para as coisas maiores que Ele estava prestes a revelar. O Senhor lhe havia dito o que fazer, e ele havia feito, e assim ele acreditou até o mais alto grau daquilo que lhe foi revelado, e, portanto, o Senhor iria recompensar sua fé obediente, comprometendo-se com outros mistérios. e profecias do futuro. A cidade deveria ser queimada e destruída. Deus lavaria as pegadas do pecado no sangue dos pecadores, e deixaria sua terra completamente desperdiçada, e ainda assim chegaria o dia em que as pessoas dispersas voltariam, e terras e vinhedos seriam comprados e vendidos, dos quais a compra do campo em Anatote era um tipo e uma garantia. Então o Senhor restauraria a nação a mais do que a sua prosperidade anterior, e faria com que o povo fosse uma aliança eterna para que Ele não se afastasse deles para lhes fazer o bem, e colocaria o Seu temor em seus corações para que não se afastassem dEle. Tudo o que ele já havia acreditado iria preparar Jeremias para acreditar nessa incrível bênção. Possivelmente, alguns de vocês imaginam que seria fácil para ele acreditar bem em Israel, mas, de fato, vocês esquecem como as pessoas o trataram. Ele vinha lidando com eles pacientemente e chorando por muitos anos, e eles haviam se mostrado um povo muito perverso, rebelde e cruel. Eles brincaram com suas lágrimas, não acreditaram em suas profecias e recusaram seus avisos. Ele ainda estava na prisão por ter falado a verdade. De modo que precisou que o próprio Deus viesse a ele e o alegrasse a respeito dessas pessoas, dizendo: “Eu sou o Senhor, o Deus de toda a carne: há algo muito difícil para Mim?” As pessoas de pescoço duro podiam ser trazidas à obediência, e deveriam ser, pois o próprio Senhor faria isso. O Senhor tiraria o coração de pedra da sua carne e faria deles um povo amorosamente obediente. Isso era impossível para Jeremias, mas possível para Jeová. Ainda será glorificado até mesmo no meio dos que o desonraram e desprezaram os seus profetas. Assim, vedes como era sábio do Senhor repetir ao Seu servo aquilo que ele sabia, pleitear e persuadir, a fim de que ele pudesse crer ainda mais plenamente na suficiência completa do Senhor seu Deus.
II. Sob a segunda cabeça do nosso discurso, vamos olhar para o texto em relação a ele como DECISIVO. “Então veio a palavra do Senhor a Jeremias, dizendo: Eis que eu sou o Senhor, o Deus de toda a carne; há alguma coisa difícil demais para mim?” Esse argumento é decisivo. Pois o argumento é extraído do próprio Senhor. Note isso. Em sua oração, Jeremias extraiu seu incentivo do que o Senhor havia feito. Observe: “Ah Senhor Deus! Eis que fizeste os céus e a terra com o teu grande poder e braço estendido, e não há nada muito difícil para ti.” A criação é um bom argumento. O Deus que fez os céus e a terra sem ajuda de qualquer um, pode seguramente fazer o que lhe agrada. Aquele que fez as montanhas e o mar e suas ilhas pode fazer qualquer coisa. Aquele que criou os céus e fez as estrelas também no longínquo espaço - naquelas grandes e poderosas órbitas - o que há que Ele não possa fazer? Este foi um bom argumento para Jeremias, mas Jeová não aponta para Suas obras, nem cita criação nem providência; Ele fala de si mesmo; a fonte de tudo, de onde mil terras e céus podem fluir como correntes de uma fonte. Ali está sua majestosa simplicidade: "Eu sou Jeová". Quando olhamos para Deus somente e pensamos, pela ajuda de Seu Espírito, de quem Ele é e do que Ele deve ser, então percebemos que nada pode ser muito difícil. para ele.
Ai que noções fracas que temos de Deus! Ouso dizer que achamos que o magnificamos, mas na realidade o menosprezamos com nossos pensamentos mais elevados. Quando descemos ao mar da provação e fazemos negócios em grandes águas de dificuldades, descobrimos que sabemos pouco de Deus. Quando vemos Suas maravilhas no fundo, ficamos surpresos e oprimidos, e se uma de suas tempestades aparecer, nossa fé é confusa. Se nós fizéssemos, senão chegar a uma ideia de Deus, se pudéssemos, senão formar uma ideia justa da imensurável grandeza de Seu poder, dúvida e desconfiança se tornariam impossíveis. “Alguma coisa é difícil demais para mim?” Diz Jeová. Medite muito sobre o divino Pai, Criador e Preservador; sobre o divino Filho, o Redentor ressurreto, que tem todo o poder no céu e na terra; sobre o Espírito sagrado, de quem o vento poderoso que corre no furacão é apenas um símbolo fraco, e você sentirá que aqui está a fonte de todo o poder. “Eu sou Jeová.” O argumento leva você a Si mesmo e, vindo de sua própria boca, a razão é decisiva. Mas Ele também quer que nós vejamos o argumento baseado em Seu nome: "Eu sou Jeová". Sempre lamento que nossos revisores não tivessem a coragem de seu conhecimento e tivessem deixado o nome divino como no hebraico original. e nos deu a palavra “Jeová” onde costumam colocar o SENHOR. É um nome de admiração e glória, e a igreja cristã deve voltar a ele e voltar mais distintamente à adoração de Jeová. O Deus de Abraão, de Isaque e de Jacó, esse Deus é nosso Deus para todo o sempre, e podemos mais claramente ter reconhecido isso, se o nome incomunicável tivesse sido preservado para nós em nossa versão das Sagradas Escrituras. O nome traz a personalidade de Deus. Aqueles que dizem que não há Deus, alguns deles, são forçados a admitir que existe uma força central, um poder que faz justiça. Eles falam de algo impessoal, mas nós acreditamos em um Deus pessoal, e aquele que não tem um Deus pessoal, na verdade, não tem Deus em absoluto. Não posso chamar uma força desconhecida, de meu Pai, e não posso dirigir minha confiança ou minha oração a ela. De fato! O Criador de pessoas e isto! Nós queremos Ele, uma pessoa, uma personalidade consciente, pensante e atuante. Isto aqui temos: “Eu sou Jeová”. O nome significa autoexistência. Deus não existe por causa de seus arredores; Ele não tira nada de fora, Sua vida está em Si mesmo. Ele não recebe apoio ou ajuda de qualquer coisa fora de si mesmo; de fato, não há nada que não tenha vindo dEle. Todas as coisas foram feitas por Ele, e Ele sustenta todas as coisas pela palavra do Seu poder. O nome de Jeová nos lembra que Ele tem em si mesmo suficiência para toda a Sua vontade; Ele tem poder de desempenho adequado para todos os Seus propósitos e decretos; Jeová deseja e isso é feito. Ele criou legiões de anjos, mas não empresta nada deles. Ele pode verdadeiramente dizer: "Eu sou, e não há outro além de Mim". Essas criaturas vivas misteriosas que estão mais próximas do Seu trono são Suas criaturas, e não Seus ajudantes. Os melhores instruídos e os mais dispostos de Seus servos, derivam tudo dele, mas não o suprem com nada. Lembrando o nome, El Shaddai, Deus todo-suficiente, entendemos melhor sua pergunta, "é algo muito difícil para mim?" Ele coloca a carga da questão sobre si mesmo; todo o esforço daquilo que é difícil em si mesmo e muito difícil para os outros, Ele encontra a palavra “Eu sou Jeová”. Todo o poder que possa ser requerido em qualquer caso imaginável é em nome de “Jeová”! É uma palavra incomensurável; a asa da águia não pode subir à sua altura; aquele que mergulha no abismo não pode alcançar sua profundidade. O nome de Jeová é mais alto que o céu, mais profundo que o inferno, mais amplo que o espaço e maior que todas as coisas. O que podemos saber dessa palavra infinita: “Eu sou Jeová”?
Faça uma visita a https://25dutra.wixsite.com/comentmenserm

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de SILVIO DUTRA:
A Adoração no Culto Público Autor(a):
A Aliança Eterna, o Suporte do Crente sob Aflição Autor(a):
Amor a Deus Autor(a):
Como Ir para o Céu Autor(a):
Confessar e se Arrepender em vez de se Endurecer Autor(a):
Conforto para os Cristãos – Parte 1 Autor(a):
Conforto para os Cristãos – Parte 2 Autor(a):
Conforto para os Cristãos – Parte 3 Autor(a):
Conforto para os Cristãos – Parte 4 Autor(a):
Deus nos Ordena Sermos Santos Porque Ele é Santo Autor(a):
Domínio do Pecado ou da Graça Autor(a):
Há Alguma Coisa Difícil Demais para o Senhor? – P 1 Autor(a):
Há Alguma Coisa Difícil Demais para o Senhor? – P 2 Autor(a):
Hebreus 1 - Versos 10 a 12 – P1 Autor(a):
Hebreus 1 - Versos 10 a 12 – P2 Autor(a):
Hebreus 1 - Versos 8 e 9 – P1 Autor(a):
Hebreus 1 - Versos 8 e 9 – P2 Autor(a):
Hebreus 1 – Versículos 1 e 2 Autor(a):
Hebreus 2 - Verso 1 – P1 Autor(a):
Hebreus 2 - Verso 1 – P2 Autor(a):
Hebreus 2 - Versos 2 a 4 – P1 Autor(a):
Hebreus 2 - Versos 2 a 4 – P2 Autor(a):
Hebreus 2 - Versos 2 a 4 – P3 Autor(a):
Hebreus 2 - Versos 2 a 4 – P4 Autor(a):
Hebreus 2 - Versos 5 a 9 – P1 Autor(a):
Hebreus 2 - Versos 5 a 9 – P2 Autor(a):
Hebreus 2 - Versos 5 a 9 – P3 Autor(a):
Início, Meio, Fim e Recomeço – Parte 1 Autor(a):
Início, Meio, Fim e Recomeço – Parte 2 Autor(a):
John Owen - Hebreus 1 - Versos 4 e 5 – P1 Autor(a):