WILLIAM PEREIRA DE MENDONÇA

 -  - WILLIAM PEREIRA
Total Visualizações: 25079
Texto mais lido:
ÍRIS - Total: 887
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 171
10 Autores mais recentes...
JUAN CARLOS
DARLAN BEZERRA PILAR
JOSÉ ROBERTO DA SILVA
VALDINEI DA SILVA CAMPOS
JOSÉ MARIA AMARANTO
MILTON JORGE DA SILVA
CELSO GABRIEL DE TOLEDO E SILVA
MARIA DE SOUZA CEZAR
EVERALDO JOSÉ CAVALHEIRO PAVÃO
JOSE JOÃO BOSCO PEREIRA
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 1656629
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 265255
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 140614
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 113543
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 96258
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 64921
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 36686
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 33766
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 33291
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 32706
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 229
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 1
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

APARTHEID BANCÁRIO


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Ninguém consegue explicar, de forma convincente, porque as agências bancárias são, em sua maioria, locais mais cheios que ônibus em hora de rush, com filas intermináveis e funcionários trabalhando abatidos e desestimulados. Se exatamente os bancos foram o setor que mais lucrou nas últimas duas décadas no Brasil, surfando na boa onda econômica do país?
Quando o lucro e o nível dos investimentos atingiram a uma marcha intensa, numa curva ascendente, os banqueiros tomaram uma rápida providência: segmentaram o atendimento, criando as chamadas agências para clientes vip – Estilo, no BB, Van Gogh, no Santander, etc. Com isso, os clientes que aportam maior volume de dinheiro ficaram livres das filas do caixa e do atendimento. Também investiram pesado em informatização, transferindo boa parte do volume de operações para os terminais de auto-atendimento e a internet.
Ao invés de resolver a superlotação e o mau atendimento, essas medidas criaram uma espécie de segregação entre os clientes, um apartheid bancário. Para aqueles que tem muito dinheiro, tudo. Para o trabalhador ou cidadão comum que tem direito apenas a uma conta salário ou quer pagar suas contas no caixa, ou para quem não tem acesso aos “internet banking” da vida, resta apenas a espera – a longa espera, para ser mais exato. O mesmo se dá entre com as pequenas empresas.
Recentemente, surgiram leis que estabelecem limites de tempo para que um cliente permaneça na fila esperando atendimento, mas, como tudo no Brasil, nem sempre vale o que está escrito. Em Itaboraí, por exemplo, em praticamente todas as agências bancárias, de bancos públicos ou privados, ninguém consegue ser atendido em 20 minutos. É comum ficar mais de uma hora na fila para o caixa e até mesmo perder muito tempo nos caixas eletrônicos.
Mesmo com a obrigatoriedade de se oferecer ao cliente uma senha eletrônica, com o horário de chegada – o que daria ao cliente uma prova da demora no atendimento, em caso de acionar o banco na Justiça – algumas agências ficam, convenientemente, com suas máquinas de senha “enguiçadas” nos dias de maior movimento. Será que um banco não pode ter uma máquina “reserva”, para essas ocasiões?
O atendimento preferencial aos idosos, gestantes e deficientes também é polêmico e muito mal resolvido. Apesar da lei não determinar a criação de uma “fila preferencial” e sim o atendimento a esses clientes na frente dos outros, sem se importar em qual guichê de caixa, os bancos, com perdão da redundância, “bancaram” a idéia da fila preferencial, que já foi estendida a quase tudo – de mercados e padarias até cinemas e teatros.
No meio de tudo isso, enquanto os lucros continuam estratosféricos, os clientes de “segunda classe”, ou seja, 99% dos usuários de bancos, são submetidos a uma espera desumana, geralmente em pé, e os bancários submetidos a metas escorchantes, também desumanas.
Os bancos até aceitam aumentar o horário de funcionamento das agências, mas não querem contratar mais funcionários para dar conta do serviço, criando outro turno. Os sindicatos dos bancários, como é de se esperar, não aceitam que o volume de trabalho (que já é grande) fique ainda maior sem que a categoria receba algum benefício – aumento nos salários ou nas contratações.
De nada adianta incluir mais gente no chamado sistema bancário, oferecendo crédito fácil e criando tipos de contas populares, se esses novos clientes são tratados de forma preconceituosa e desrespeitosa pelos bancos. São necessários protestos populares, a ação de forças políticas e, com certeza, e mais matérias na imprensa para que o usuário dos bancos seja tratado com o respeito que merece – e aqui nem se falou sobre as taxas de juros, a venda casada de produtos e o sistema de cobranças, outros temas espinhosos que são assuntos para outros artigos.

(Publicado no JORNAL ITABORAI de 01/03/2013)

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de WILLIAM PEREIRA DE MENDONÇA:
20 DE OUTUBRO: DIA DO POETA Autor(a):
A AREIA FINA Autor(a):
A DOR QUE ME VISITA Autor(a):
A LIRA DOS VINTE ANOS Autor(a):
A MIL POR HORA Autor(a):
A MORAL RASTEJANTE Autor(a):
A PAZ NO OLHAR DE GABRIELA Autor(a):
A POESIA DAS NOITES DE HOJE Autor(a):
A QUEM NÃO AMA Autor(a):
A RENÚNCIA DO PAPA Autor(a):
A ÚLTIMA QUIMERA Autor(a):
A VERDADE RELATIVA Autor(a):
ABSINTO Autor(a):
AGORA Autor(a):
AGRADECIMENTO Autor(a):
ALGUMAS TROVAS IMPERFEITAS Autor(a):
AMANHECER Autor(a):
ANA C. - O brilho interrompido Autor(a):
ANACRÔNICO Autor(a):
ÂNSIA Autor(a):
ANTONIN ARTAUD - O teatro e sua santa loucura Autor(a):
ANUNCIADA Autor(a):
AO TEU SOL EM PEIXES Autor(a):
AONDE VAI O POVO? (Conversa com o Brasil) Autor(a):
AOS ABUTRES Autor(a):
AOS NOSSOS FILHOS Autor(a):
APARTHEID BANCÁRIO Autor(a):
ARGONAUTA Autor(a):
ARTAUD Autor(a):
ARTHUR MILLER - o mestre indiscutível do drama moderno Autor(a):