MARCELO GOMES MELO

 -  - MARCELO GOMES
Total Visualizações: 44662
Texto mais lido:
A falácia do amor incondicional - Total: 520
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 2358
10 Autores mais recentes...
MAXIMILIANO SKOL
WILLIAN DE CAMPOS
ELIZANDRA GOMES
ERNI OLIVEIRA
LOHAYNE FERNANDA RODRIGUES PEDRO
TÂNIA REGINA BRAGA TORREÃO SÁ
JOÃO HENRIQUE DE SOUZA
SUZE MARTINS FRANCO MONTEIRO
HEITOR MENDES
HEITOR ABREU VIEIRA MENDES
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 7710375
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 1723498
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 1204283
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 938208
622 SANTO VANDINHO
SANTO VANDINHO
Total: 590023
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 291692
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 163098
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 158392
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 151640
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 133482
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 261
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 1
 
 

A arte de escrever na Era digital

Em uma época em que a digitação facilita enormemente a produção de textos e documentos para leitura didática ou recreativa, é importante falar sobre o cultivo da escrita manual, original, a verdadeira arte da comunicação realizada através de papel e caneta, imprimindo cada um o seu estilo pessoal, a maneira única de comunicar sentimentos, informações pessoais ou simplesmente documentação social.
Tudo isso pode ser feito através de um teclado, com algumas vantagens explícitas, como a velocidade da produção escrita, a correção gramatical imediata e até a formatação do texto nos moldes específicos. Ainda além do acima citado, a possibilidade de inserir comunicação não-verbal ao mesmo tempo: fotos, desenhos, vídeos etc. Como competir com a escrita do momento, à prova de letras feias, garranchos mal traçados, hieróglifos difíceis de compreender?
Eis que todas as virtudes apresentadas para a escrita digitada são igualmente os defeitos. Senão, vejamos; a correção gramatical do computador limita-se ao conhecimento do programador, que raramente seria um profissional dos idiomas, portanto, de vez em quando contestará palavras as quais não conhece a existência ou o significado, ou ainda a conotação que se dar. Outra dificuldade apresenta-se nas expressões muitas vezes utilizadas, particulares para o entendimento do interlocutor e ninguém mais. O software de correção apresentará aquele sublinhado em vermelho, desconfortável, que lhe coloca uma enorme interrogação: estará errado o que acabei de digitar?
E quanto a estética? A formatação não oferece parágrafo, apesar de automaticamente colocar a letra maiúscula em caso de esquecimento, então difere das regras de escrita manual, o contato da mão que escreve com o que o papel registra e a caneta que derrama os pensamentos diretamente do cérebro e do coração.
Deixa a impressão de que é impessoal demais o que se digita, cartas de amor em linha de montagem, informações rotineiras automatizadas, documentos de cobrança ainda mais gelados... Essa é a deixa para a pergunta de um milhão de dólares. Digitar é a evolução, é sensacional e deve ser utilizado sempre que possível. E a escrita artesanal? E a escrita manual utilizada através dos séculos, responsável por resgatar e preservar a história e todos os acontecimentos das sociedades ao redor do mundo, banais ou primordiais; a razão para sabermos e acompanharmos a evolução?
Esse é o ponto principal a ser determinado. Tudo é conhecimento, e a escrita manual precisa ser preservada e ensinada porque acrescenta imediatamente originalidade e conhecimento do idioma, de suas regras e detalhes enriquecedores, dos mecanismos ímpares para a sua utilização. É por isso que conhecer o próprio idioma em sua forma inicial é tão importante! Escrever se aprende escrevendo. Ler se aprende lendo. Silenciosamente ou em voz alta é fonte de aprendizado. Treinar a escrita, melhorar a letra, dizer mais com menos palavras, esses são os mandamentos intrínsecos para quem quer obter o dom da comunicação verbal respeitando os seus ancestrais, honrando aos seus descendentes.

Marcelo Gomes Melo

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de MARCELO GOMES MELO:
A arte de comunicar (se) Autor(a):
A arte de escrever na Era digital Autor(a):
A assimetria do amor Autor(a):
A destruição de tudo como conhecemos Autor(a):
A escola que temos e a escolaque queremos Autor(a):
A falácia do amor incondicional Autor(a):
A falta de sorte típica dos pobres Autor(a):
A forma como as aparências enganam Autor(a):
A história da minha vida Autor(a):
A horda Autor(a):
A imortal sinfonia Autor(a):
A influência psicológica para o bem e para o mal Autor(a):
A Ira Autor(a):
A Jesus Cristo nosso Senhor Autor(a):
A maneira mais eficiente de estudar Autor(a):
A minha inóspita filosofia Autor(a):
A misteriosa dubiedade do outono Autor(a):
A musa (Doído de amor) Autor(a):
A namorada - The girlfriend Autor(a):
A natureza chama, o ser humano respeita Autor(a):
A pobre vida Autor(a):
A praga Autor(a):
À procura de mim Autor(a):
A razão das dores alheias Autor(a):
A resistência de políticos e de baratas Autor(a):
Absolvição Autor(a):
Agindo contra o bullying Autor(a):
Ah, o Silva! Autor(a):
Almas perdidas, corpos abandonados Autor(a):
Amor inviolável Autor(a):