ZILDO GALLO

 -  - ZILDO GALLO
Total Visualizações: 40616
Texto mais lido:
AO MINEIRINHO POETA - Total: 366
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 2063
10 Autores mais recentes...
VALERIA BRITO BULHOES ROCHA
SUELEN LUIZ DE OLIVEIRA
EDENICE SANTOS DA SILVA
LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA
DIONILDO DANTAS
VALMIR APARECIDO SAMBO
WALLACE MARINS
DEIVID
IVONE DETTMANN GONCALVES
HERBERTEEN SANTOS
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 3654742
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 481390
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 476319
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 464624
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 237135
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 147161
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 129413
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 69579
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 60731
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 59011
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 260
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

A POESIA (o poeta e sua sina)


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Passar sóbrio pela vida afora
com a cara da coragem e a fé
nem álcool nem ópio
para suavizar as dores muitas
dores de desencontros
desencantos e das perdas e danos
nossa árdua missão
nossa recorrente via crucis.

Apenas na beleza da arte dos poetas
vates ébrios por um novo mundo
talvez possamos encontrar algum bálsamo
para nossas feridas abertas na busca
do amor em meio ao deserto
deserto de almas abertas à liberdade
e à aventura de sonhar e viver.

Grafar no papel com o sangue
aos borbotões derramado
a verdadeira tinta da poesia
as nossas mais cruentas dores
e cantá-las aos quatro ventos
demorado e dolorido canto
e lavar o coração
com as lágrimas derramadas
pela nossa alma que clama:
liberdade! liberdade! liberdade!

Zildo Gallo
Piracicaba, SP, 28 de setembro de 2001.
Revisão: Araraquara, SP, 23 de junho de 2017.

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de ZILDO GALLO:
(RE)(IN)VOLUÇÃO: grandes almas Autor(a):
A conversão de São Francisco: uma loucura divina Autor(a):
A HORA DA AVE MARIA Autor(a):
A ILHA Autor(a):
A INCRÍVEL SAGA DO PEIXE BOTINA Autor(a):
A LUA E O MAR Autor(a):
A MENINA QUE PASSAVA Autor(a):
A POESIA (o poeta e sua sina) Autor(a):
A PROCURA DO POETA Autor(a):
AFETOS ABORTADOS Autor(a):
AFIRMAÇÃO (Smithiana mão invisível) Autor(a):
AGORA Autor(a):
ÁGORA AGORA Autor(a):
ÁGUA PARA TODOS Autor(a):
ÁGUAS DE OUTUBRO (via crucis) Autor(a):
ALÉM DAS SOMBRAS DA CAVERNA Autor(a):
ANÉIS DE SATURNO Autor(a):
ANTAGONISMOS Autor(a):
AO MINEIRINHO POETA Autor(a):
ÁRVORE SECA Autor(a):
AS ALEGRIAS Autor(a):
AS FLORES E O CANHÃO Autor(a):
As sombras que assombram a humanidade Autor(a):
ASSIM... Autor(a):
ASTRONAUTA (POEMA SIDERAL) Autor(a):
AVES SUICIDAS Autor(a):
BANANAS Autor(a):
BANDEIRA VERMELHA Autor(a):
BATIZADO DOS BICHOS Autor(a):
BAÚ DEBAIXO DA PONTE Autor(a):
Banner aniversariantes

Aniversário Hoje

Aniversariante de Hoje DALILA DO NASCIMENTO DOS SANTOS
Aniversariante de Hoje MOISÉS ANTÓNIO