TÂNIA DU BOIS

212 -
Total Visualizações: 5379
Texto mais lido:
A ARTE DE FAZER EXISTIR O FIM - Total: 248
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 193
10 Autores mais recentes...
IVONE DETTMANN GONCALVES
HERBERTEEN SANTOS
DALILA DO NASCIMENTO DOS SANTOS
CLEITON CARVALHO DE JESUS GONSALVES
LUIZA NASCIMENTO ABREU
MARCO PAULO VALERIANO DE BRITO
ALHOSAL
JUAN CARLOS
DARLAN BEZERRA PILAR
JOSÉ ROBERTO DA SILVA
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 2205406
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 301002
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 196043
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 116690
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 106808
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 95061
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 68064
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 43438
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 38608
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 38388
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 13
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

HOJE


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Por definição, o hoje se instaura quando estamos demasiadamente dispostos a não nos espantar com a realidade, mas, tentar compreendê-la melhor do que ontem. Essa vivência forma estranhos sentidos, tornando misterioso o hoje; para Ana Maria Lopes, “... Ontem //... A memória dorme cedo / assegurando ao segredo / fixar seu limite // Meu corpo insiste / em seu calar honesto / Daqui / não vejo o mar...”.
Perguntamo-nos, para onde foram as cores do dia que se perderam no espaço; a flor da hora atravessada no tempo ao transbordar o dia exato? Não progredimos ao proibir palavras, como se vivêssemos de única palavra. Ana Maria Lopes expressa, “... São pontas de um tempo / que não reconhece futuro / e o passado é apenas / a geometria do escuro...”
Como argumentar que a vida é irredutível quando se propaga pelos campos no viver somente o hoje? Essa misteriosa questão faz com que interpretemos o presente em suas conotações e extrapolações. O que nos pode explicar por que nos referimos à crítica na necessidade para pensarmos o tempo como linguagem imediata, que nos manipula no esperar o dia seguinte.
É maneira para conversar conosco mesmos no refletirmos sobre a passagem do dia, analisando e revendo nosso posicionamento frente à decisão tomada, nos arquitetando e fortalecendo para o amanhã. Como em Ana Maria Lopes, “Ando longamente pelos caminhos da memória / São tortuosos e sempre perco / Há muitas trilhas e desvãos e devaneios. // Perdi o rumo ou foi a lembrança / que fechou o cerco?”
Confesso ser processo de conversão com a repetição dos ritmos do tempo, onde nos fiamos apenas nas apresentações, com traço marcando o dia de hoje. Maneira, sem dúvida, de haver constância e relutância no reiniciar o que vimos fazer hoje: aprender a lidar com as críticas como dimensão das nossas reflexões; fórmulas e definições antes das preocupações que emergem das palavras na concepção para viver o hoje. Espantados, inertes, indiferentes ou assustados por lamentarmos o dia que não nos fortalece, ao contrário, faz com que pareçamos frágeis para sobreviver ao dia de hoje no mundo real.Como retrata Ana Maria Lopes, “Trapézio sem rede / corda bamba que treme / viver sem medo / amar sem sede // nunca mais”.

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de TÂNIA DU BOIS:
A arte da Escolha Autor(a):
A arte da SIMPLIFICAÇÃO e a beleza da SIMPLICIDADE Autor(a):
A ARTE DE FAZER EXISTIR O FIM Autor(a):
A ARTE DE FAZER EXISTIR O FIM Autor(a):
A BUSCA da BELEZA Autor(a):
A CARTA Autor(a):
A casa Autor(a):
A CIDADE Autor(a):
A COR do INVISÍVEL ( II ) Autor(a):
A COR do INVISÍVEL (I) Autor(a):
A IMAGINAÇÃO É SUFICIENTE PARA DESCREVER O MUNDO? Autor(a):
ARTE: Discussão Literária Autor(a):
ARTE: VOCAÇÃO E PAIXÃO Autor(a):
AS APARÊNCIAS ENGANAM Autor(a):
AS MÃOS Autor(a):
ATRÁS DA NOITE Autor(a):
AUTÓGRAFOS Autor(a):
CASSINO DA MAROCA Autor(a):
CENA de RUA: livro de imagens Autor(a):
CONSTRANGER & ser CONSTRANGIDO Autor(a):
CONVERSANDO sobre SEXUALIDADE Autor(a):
COR no ESCURO Autor(a):
DIA FORA de HORA Autor(a):
DIAS PERDIDOS Autor(a):
DOR Autor(a):
Elogiar Autor(a):
EM PASSOS PESSOAIS Autor(a):
ENCONTRO AMARGO Autor(a):
ESTANTE Autor(a):
EXÍLIO Autor(a):