DIRCEU DETROZ

 -  - DIRCEU DETROZ
Total Visualizações: 78849
Texto mais lido:
BAILARINA - Total: 387
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 1435
10 Autores mais recentes...
HILTON MARCOS DE OLIVEIRA
WAGNER PAULON
GISELE NEGRO DE LIMA
ALEXANDRE DORNELES DE BRITO PINNA
SALETI HARTMANN
ELIZABETH PEREIRA DA SILVA
ELLENDRA VALENTINE
ONIVAN BARBOSA PANTOJA
THALLES CAKAN
ADALTO FREITAS
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 1201620
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 226057
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 110016
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 80148
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 78849
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 43191
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 28285
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 27735
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 25618
385 ANDRADE JORGE
ANDRADE JORGE
Total: 23130
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 294
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 1
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

MOSAICOS


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

No resumo do meu silêncio
restou um trem partindo,
uma estação vazia.

Um amontoado de lágrimas
descendo como ondas,
no frio já gelado de abril.

E caminhei pelas ruas desertas,
de outdoors molhados e tristes
vigiando meus passos.

Ali imóveis, e sem piedade,
todos eles me olhavam
quase entendendo minha dor.

Diferente do trem sumindo na curva
eu estava sem rumo,
perdido por descaminhos.

Nem havia percebido
que a chuva fina estava de volta,
a noite também chorava.

Eu era um mosaico
fantasiado pelas luzes da cidade,
atormentado pela separação.

Tentei um novo resumo,
sem a estação, sem o trem, sem a curva,
sem as lágrimas, mosaicos ou descaminhos.

Então percebi ainda mais triste,
que meu diário de verão
havia se rasgado para sempre.

E quando o inverno enfim chegou,
trouxe notícias daquele trem
e da passageira que nunca quis partir...

Seu desejo era de fazer o trem voltar,
da curva nunca existir,
e do verão nunca terminar...

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login.
16/10/2018 11:48:59
Uma beleza doce nostalgica.lindo.
Comentado por: LIZZ DETROZData Cadastro: 16/10/2018 11:48:59

Mais textos de DIRCEU DETROZ:
A "IA" NÃO SERÁ UM MENINO BONITO Autor(a):
A ALMA A SINGULARIDADE E O FUTURO Autor(a):
A CHEGADA Autor(a):
A EQUAÇÃO DA ALMA Autor(a):
À ESPREITA Autor(a):
A INDUSTRIA GENÉTICA NÃO É FICÇÃO Autor(a):
A INFÂNCIA DOS LIVROS Autor(a):
A LIZZ DO DIR Autor(a):
A MENINA NA JANELA Autor(a):
A NOITE DE ONTEM Autor(a):
A NOSSA IDADE DAS TREVAS Autor(a):
A NOSSA LÍNGUA PORTUGUESA Autor(a):
A OBRA-PRIMA DO PERDÃO Autor(a):
A REALIDADE E A FICÇÃO Autor(a):
A SENHA Autor(a):
A SENHA Autor(a):
A UTOPIA CÓSMICA Autor(a):
A VAGINA DO PICASSO (Um conto nada intelectual) Autor(a):
A VARIÁVEL ESQUECIDA Autor(a):
A VARIÁVEL HUMANA Autor(a):
A VEZ DAS CIGARRAS Autor(a):
A VEZ DAS CIGARRAS Autor(a):
A VIDA PREGA PEÇAS Autor(a):
A VISITA Autor(a):
A VISITA DO APOPHIS Autor(a):
AÇÃO Autor(a):
AFOGAMENTO Autor(a):
AFOGAMENTO Autor(a):
AGARRAR Autor(a):
AINDA É ELA Autor(a):