ANDRADE JORGE

 -  - ANDRADE JORGE
Total Visualizações: 23268
Texto mais lido:
FAÇA UMA PONTE - Total: 371
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 775
10 Autores mais recentes...
MÁRCIO EVANGELISTA DOS SANTOS
VIVIANE MAUBRIGADES
REGINA SOUZA VIEIRA
HILTON MARCOS DE OLIVEIRA
WAGNER PAULON
GISELE NEGRO DE LIMA
ALEXANDRE DORNELES DE BRITO PINNA
SALETI HARTMANN
ELIZABETH PEREIRA DA SILVA
ELLENDRA VALENTINE
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 1219250
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 228199
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 110092
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 81903
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 81609
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 43763
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 28640
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 27950
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 25831
385 ANDRADE JORGE
ANDRADE JORGE
Total: 23268
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 221
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

A FÉ COMO ELA NÃO É


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

A FÉ COMO ELA NÃO É

Certa feita, andando meio que a esmo nas ruas do bairro onde morei, cidade de Jundiaí, estava desesperançoso, desempregado, triste, família pra cuidar; Caminhando pela Rua Prudente de Morais (nasci nesta rua) havia um salão onde se reunia uma Igreja, e naquele momento que passava estava acontecendo um culto, eram mais ou menos três da tarde. Resolvi entrar, afinal não tinha nada a perder e estava precisando mesmo de uma palavra de conforto. Na entrada escrito num dos cartazes que ao final do culto todos receberiam uma fita benta, dessas de amarrar no pulso. Sentei-me num dos bancos. O Pregador usava vestes de Padre, o nome da Igreja não me lembro, mas não era a tradicional Católica Apostólica Romana. Mas isso no momento não importava em nada, ouvi atentamente a pregação. Antes de terminar o Pregador falou sobre o dizimo, explicando sobre as despesas que a Igreja tinha para a manutenção do local:
- Quem tem cem reais para ofertar?
Acho que um ou dois levantaram a mão e foram chamados para ficar la na frente;
Quem tem cinquenta? Mais uns três ou quatro levantaram a mão e foram chamados para ficaram la na frente; E assim foi: quem tem trinta, vinte, dez, cinco, nesta altura quase todos estavam la na frente, ali sentados eu e mais um coitado, mas Pregador insistiu: "Quem tem pelo menos um real para ofertar?" Um olhou para a cara do outro e ficamos na mesma, sem contar o constrangimento, porque todos estavam olhando pra nossa cara, como a dizer: “que gente é essa que não tem nem um real no bolso?”. O outro não sei, mas eu não tinha. Então o Pregador mandou que as pessoas fizessem uma fila para receber a tal fita. Claro, entrei na fila, o outro nem quis entrar. Eu era o último, e a fila seguia lentamente. Finalmente chegou minha vez, pensei: "agora vou receber a fita abençoada". estendi a mão, o Pregador olhou bem pra mim e disse:
A fita acabou de acabar!! Quem sabe noutro dia.
Percebi um sorrisinho de escárnio. Pois é, eu não tinha nem um real para receber a fita abençoada..... Sai de la desiludido.
Dois ou três meses depois o salão foi fechado. Ninguém soube para onde a Igreja mudou talvez para um lugar onde não tivesse outro Andrade Jorge tão duro quanto, que não pudesse ofertar pelo menos um real aos amáveis Pregadores.
Não é texto de criação, aconteceu.

29/06/16
Andrade Jorge

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login.
26/03/2018 10:54:18
Há pessoas com experiências semelhantes amigo. Parabéns
Comentado por: ANTONIO SALESData Cadastro: 26/03/2018 10:54:18

Mais textos de ANDRADE JORGE:
"X" Autor(a):
"X" (poesia reflexão) Autor(a):
A CHUVA Autor(a):
A FÉ COMO ELA NÃO É Autor(a):
A FÉ COMO ELA NÃO É Autor(a):
A MULHER DO BARBEIRO (conto) Autor(a):
A MULHER QUANDO AMA Autor(a):
A PAZ Autor(a):
A TÁBUA (lição de vida) Autor(a):
ACADÊMICO ANDRADE JORGE Autor(a):
ACASO Autor(a):
ACQUA Autor(a):
ACQUA (poesia traduzida para o idioma Italiano) Autor(a):
ADEMILDE Autor(a):
ÁGUAS DE SALTO Autor(a):
AMANHÃ Autor(a):
AMANTES Autor(a):
AMANTES Autor(a):
AMAR Autor(a):
AMIGA Autor(a):
AMIGA Autor(a):
ANGELICAL E DEMONÍACO Autor(a):
ANJOS Autor(a):
APAGÃO Autor(a):
APAGÃO (Cotidiano) Autor(a):
ARDIL Autor(a):
ASNEIRAS & BESTEIRAS (poesia amor) Autor(a):
ATCHIMMMM! (poesia infantil) Autor(a):
ATRIZ Autor(a):
ATRIZ (POESIA REFLEXÃO) Autor(a):