PAULO FONTENELLE DE ARAUJO

 -  - PAULO FONTENELLE
Total Visualizações: 7009
Texto mais lido:
DELÍRIO DE PEIXE - Total: 101
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 982
10 Autores mais recentes...
ALEXANDRE DORNELES DE BRITO PINNA
SALETI HARTMANN
ELIZABETH PEREIRA DA SILVA
ELLENDRA VALENTINE
ONIVAN BARBOSA PANTOJA
THALLES CAKAN
ADALTO FREITAS
PERGENTINO JUNIOR
MARIA DO SOCORRO DOMINGOS
PAOLA CAMILA DOS SANTOS ESQUIVEL
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 1197292
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 225509
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 109988
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 79881
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 78507
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 43034
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 28195
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 27667
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 25552
385 ANDRADE JORGE
ANDRADE JORGE
Total: 23090
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 36
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

HORA LÍQUIDA


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Desculpe revelar,
apesar do meu medo extremo,
da minha raiz confusa,
naquele dia sobreveio;
eu me desfiz
pela primeira vez.

Amar supõe uma dissolução,
ou algo certamente derrete.
Há porém
uma parte caule em seu lugar comum
onde o contato íntimo permanece
e depois tudo se desfaz
uma básica ocasião.

Mas talvez teu amor tenha sentido diferente.
Ele sempre gotejou,
sorrisos sempre irrigaram batons,
e não pode se compor,
sem notar as questões da hora:
Onde eu estou?
Tudo é fixamente rocha, paredes,
fixamente aquilo alcunhado corpo?
Isto é a coesão vista por mim
quando passo pelo mundo
como onda triste
como lava feminina?

Eu não pude responder.
Amar ali foi o meu momento disperso
a boia ritmada, ao sal,
minha força seguinte ao Mar Morto
minha nobre condição de poço
a refletir a lua eternamente fluída.

Desculpe revelar,
mas eu me tornei bem vindo
naquela minha hora líquida
pela primeira vez mistura
no meio da água salobra, pura, viva;
você era a fonte disponível
pude me salvar contido em ti.


DO LIVRO: ADVERSOS E OUTROS MOMENTOS

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de PAULO FONTENELLE DE ARAUJO:
A ALMA SURDA Autor(a):
A BELEZA, QUARTA DIMENSÃO Autor(a):
A CIDADE POSSÍVEL Autor(a):
A DESCONSTRUÇÃO Autor(a):
A FORMIGA ALHEIA Autor(a):
A LISTA Autor(a):
A MÁQUINA DO TEMPO Autor(a):
A MÚMIA Autor(a):
A PRIMAVERA DAS FADAS Autor(a):
A SONDA AMERICANA VOYAGER I Autor(a):
A TEVÊ LIGADA Autor(a):
ALGUMAS PRINCESAS Autor(a):
ALMA SURDA Autor(a):
AMOR AOS DOZE ANOS Autor(a):
AMOR ATO CINCO Autor(a):
AMOR ATO DEZ Autor(a):
AMOR ATO OITO Autor(a):
AMOR ATO ONZE Autor(a):
AMOR ATO SEIS Autor(a):
AMOR ATO TRÊS Autor(a):
AMOR ATO UM Autor(a):
ANÚNCIOS BRANCOS Autor(a):
AQUI SE MORRE DE CÂNCER Autor(a):
AS CRIANÇAS DO GENERAL MÉDICI Autor(a):
AS MARCAS Autor(a):
AS MENINAS Autor(a):
ATERRISSAGENS Autor(a):
ATRÁS DE MIM Autor(a):
ATRÁS DO SOBRADO Autor(a):
AVENIDA DE TOLERÂNCIA Autor(a):