TÂNIA DU BOIS

212 -
Total Visualizações: 16555
Texto mais lido:
A ARTE DE FAZER EXISTIR O FIM - Total: 396
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 293
10 Autores mais recentes...
SUELEN LUIZ DE OLIVEIRA
EDENICE SANTOS DA SILVA
LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA
DIONILDO DANTAS
VALMIR APARECIDO SAMBO
WALLACE MARINS
DEIVID
IVONE DETTMANN GONCALVES
HERBERTEEN SANTOS
DALILA DO NASCIMENTO DOS SANTOS
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 3555486
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 444164
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 420834
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 405464
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 220670
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 140356
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 127488
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 64964
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 55900
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 55073
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 262
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

CENA de RUA: livro de imagens


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

CENA de RUA: livro de imagens
por Tânia Du Bois

Cena de Rua é o livro infantil de Ângela Lago, de 1994. Sua execução foi pela simpatia para com os meninos de rua. É livro de imagens, não há propriamente uma história. A criança cria a sua história do que está vendo, de acordo com a sua experiência de vida e através da sua criatividade.
Cena de Rua é triste (ou não?), mas real! Ou simplesmente são coincidências da vida? Ou são cenas do cotidiano como a do menino vendendo frutas no trânsito. O cachorro no carro late para o menino, enquanto outro motorista rouba a fruta. A vovó que ali passa, com medo do menino, protege a sua bolsa. O menino triste e só, através da vidraça, admira uma mãe que dá carinho para o filho. O menino cansado senta na rua e come a fruta que divide com o cachorro, que também está sozinho. Ainda com fome, rouba um pacote de dentro de um carro, sai correndo e, ao abrir o pacote, encontra frutas. Sacia a sua fome e volta ao trânsito para vender as restantes. E assim a sua vida retorna novamente às ruas. Nas palavras de Pedro Du Bois, “... o nada se descortina como cena / muda e vazia / de esperanças.” (Pedro Du Bois)

Cena de Rua é literatura infantil que mostra a realidade em que vivemos, através da arte. Pintar também é escrever, como nas palavras de P. M. Bardi, ”Um pintor de talento, também é um escritor”.
Com sensibilidade podemos “ler” o livro e reconhecer o quanto a criança está sozinha; até Júlia, de 5 anos, reconheceu a Cena de Rua e logo montou a sua história para ajudar o menino. Então, em cada sinaleira em que hoje paramos, Júlia diz: “O menino não tem casa, nem dinheiro. Coitadinho! Ele está trabalhando como o menino da história”
Cena de Rua tem a escuridão como pano de fundo, ressaltada em cores fortes e pinceladas corajosas. É diferente e interessante, porque a criança conta o que vê dentro do seu coração e da sua realidade. A parte mais bonita é a da revelação, onde crianças impressionadas e emocionadas com as imagens podem acrescentar uma história para Cena de Rua, criando seus próprios livros.
A autora Ângela Lago dá oportunidade para as crianças se manifestarem de maneira lúdica e de preservação da tradição oral, garantindo assim o desenvolvimento e o entendimento da nossa vida. Também, mostra que o mundo que a rodeia nem sempre é alegre. . Imagens que falam por si, sem textos, estimulando a consciência do leitor e fazendo com que a imaginação se complete numa história a ser contada. Era uma vez...

“... As frutas sem morte / não as comemos. / Essas / que uma outra fome,
clara, segura. / Essas / suspensas lá onde o silêncio, / não bem como
uma árvore de vidro, / frutifica. // ... O silêncio sustenta caules /
em que o perigo gorjeia. // ... Alto abandono / em que os frutos
alvorecem, / e rompem!” (Ferreira Gullar)

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de TÂNIA DU BOIS:
100 ANOS?!?! Autor(a):
A arte da Escolha Autor(a):
A arte da SIMPLIFICAÇÃO e a beleza da SIMPLICIDADE Autor(a):
A ARTE DE FAZER EXISTIR O FIM Autor(a):
A ARTE DE FAZER EXISTIR O FIM Autor(a):
A BUSCA da BELEZA Autor(a):
A CARTA Autor(a):
A casa Autor(a):
A CIDADE Autor(a):
A COR do INVISÍVEL ( II ) Autor(a):
A COR do INVISÍVEL (I) Autor(a):
A IMAGINAÇÃO É SUFICIENTE PARA DESCREVER O MUNDO? Autor(a):
A INTENÇÃO E O FEITO Autor(a):
A LINGUAGEM da DIFERENÇA Autor(a):
A LINGUAGEM da DIFERENÇA Autor(a):
AFETIVIDADE e EFETIVIDADE: torna real a relação? Autor(a):
AGONIA Autor(a):
AMORES versus HORAS Autor(a):
ARROGÂNCIA ou IGNORÂNCIA Autor(a):
ARTE: Discussão Literária Autor(a):
ARTE: VOCAÇÃO E PAIXÃO Autor(a):
AS APARÊNCIAS ENGANAM Autor(a):
AS MÃOS Autor(a):
ATRÁS DA NOITE Autor(a):
AUTÓGRAFOS Autor(a):
AVESSO A MÁS NOTÍCIAS Autor(a):
BANDIDA MALDADE Autor(a):
BOM COMPORTAMENTO Autor(a):
CARLOS PESSOA ROSA, em palavras Autor(a):
CASSINO DA MAROCA Autor(a):
Banner aniversariantes

Aniversário Hoje

Aniversariante de Hoje ALCINA MARIA SILVA AZEVEDO
Aniversariante de Hoje DORI AMÉRICO