PAULO FONTENELLE DE ARAUJO

 -  - PAULO FONTENELLE
Total Visualizações: 16131
Texto mais lido:
A CIDADE POSSÍVEL - Total: 190
Educares são nossos pontos, nossa pontuação! Educares: 1812
10 Autores mais recentes...
IVONE DETTMANN GONCALVES
HERBERTEEN SANTOS
DALILA DO NASCIMENTO DOS SANTOS
CLEITON CARVALHO DE JESUS GONSALVES
LUIZA NASCIMENTO ABREU
MARCO PAULO VALERIANO DE BRITO
ALHOSAL
JUAN CARLOS
DARLAN BEZERRA PILAR
JOSÉ ROBERTO DA SILVA
10 Autores mais lidos...
613 SEDNAN MOURA
SEDNAN MOURA
Total: 2237167
285 ALEXANDRE BRUSSOLO
ALEXANDRE BRUSSOLO
Total: 303683
190 DIRCEU DETROZ
DIRCEU DETROZ
Total: 199430
272 PEDRO VONO
PEDRO VONO
Total: 117013
1121 THALYA SANTOS
THALYA SANTOS
Total: 107376
622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO
Total: 97451
657 ELIO MOREIRA
ELIO MOREIRA
Total: 70959
218 ZILDO GALLO
ZILDO GALLO
Total: 43846
189 LADISLAU FLORIANO
LADISLAU FLORIANO
Total: 38905
496 ALBERTO DOS ANJOS COSTA
ALBERTO DOS ANJOS COSTA
Total: 38740
Sala de Leitura
Busca Geral:
Nome/login (Autor)
Título
Texto TituloTexto



Total de visualização: 88
Textos & Poesias
Imprimir

Total Votos: 0
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!
  Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

O MENDIGO FRITZ


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Fritz foi um soldado nazista sobrevivente da segunda guerra mundial. Fritz era o único mendigo do bairro do Brooklin Paulista na cidade de São Paulo no ano de 1968. O mendigo Fritz segurava as suas calças puídas, andava cabisbaixo e pensativo e, às vezes aparecia, às vezes sumia daquelas ruas.
Julgavam Fritz um doente mental, mas Fritz apenas trazia o seu problema de ter sido um soldado nazista e segurava as calças para não usar novamente uniforme militar. Segurava as calças porque isto impediria o gesto de engatilhar a sua metralhadora imaginária, lembrança da guerra, ou executar novamente o cumprimento nazista.
Fritz não devia gostar do cumprimento nazista. Meninos zoavam e lembravam o tal gesto ao mendigo. Alguém parecia dizer: “O nazismo existiu!” Fritz dava um berro para assustar crianças.
Fritz tinha o rosto queimado e eu presumia as marcas como sequelas da explosão de sua granada, detonada todos os dias ao seu lado, em um campo de batalha irreal, onde deviam surgir também - além dos estilhaços - suásticas e baratas.
Havia algo entre as suásticas e as baratas de Fritz, mas as baratas não tinham culpa.
Fritz queria tão somente segurar as suas próprias calças.
Um dia Fritz morreu. “Morreu o mendigo!” Não falaram do soldado nazista morto nas ruas do bairro do Brooklin Paulista. Falaram do mendigo. Disseram coitado sem saber que a condição de coitado era exatamente o final triunfante do conflito: o mendigo Fritz contra o soldado nazista. As calças penduradas e puídas do mendigo contra o uniforme do soldado.
O mendigo brasileiro Fritz foi até o fim. Sem loucuras.

Imagino Fritz agora; quando ele urinava, certamente o mundo se distorcia. Fritz deveria se sentir um tipo de vira-latas, a urinar em estranhos postes: às vezes nas próprias pernas, às vezes no seu antigo par de botas da Gestapo.

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login. Mais textos de PAULO FONTENELLE DE ARAUJO:
20 DE JANEIRO DE 1983 Autor(a):
A ALMA SURDA Autor(a):
A BELEZA, QUARTA DIMENSÃO Autor(a):
A CIDADE POSSÍVEL Autor(a):
A DESCONSTRUÇÃO Autor(a):
A FORÇA DO CIÚME Autor(a):
A FORMIGA ALHEIA Autor(a):
A INVENÇÃO DO FUTEBOL Autor(a):
A MÁQUINA DO TEMPO Autor(a):
A MULHER DO LOUCO Autor(a):
A MÚMIA Autor(a):
A PRIMAVERA DAS FADAS Autor(a):
A SONDA AMERICANA VOYAGER I Autor(a):
A TEVÊ LIGADA Autor(a):
ALGUMAS PRINCESAS Autor(a):
ALMA SURDA Autor(a):
AMO A VIDA COMO WALT WHITMAN Autor(a):
AMOR ATO VINTE Autor(a):
AMOR AOS DOZE ANOS Autor(a):
AMOR ATO CINCO Autor(a):
AMOR ATO DEZ Autor(a):
AMOR ATO DEZENOVE Autor(a):
AMOR ATO DEZESSEIS Autor(a):
AMOR ATO DEZESSETE Autor(a):
AMOR ATO OITO Autor(a):
AMOR ATO ONZE Autor(a):
AMOR ATO SEIS Autor(a):
AMOR ATO TRÊS Autor(a):
AMOR ATO UM Autor(a):
AMOR ATO VINTE E UM Autor(a):