Total Visualizações: 15891
Texto mais lido:
A CIDADE POSSÍVEL - Total: 188

Amigos Recentes

492 MARIA HILDA DE J. ALÃO1121 THALYA SANTOS622 EVANDRO JORGE DO ESPIRITO SANTO3 JÚLIO CÉSAR DE ALMEIDA VIDAL1 CLÁUDIO JOAQUIM DOS SANTOS BRAGA2 ANA PAULA SANTOS74 ANA CLAUDIA SANTOS DE LIMA BRAGA
Meus amigos...
Efuturo: Banner inicial para personalizar. 324 Todos os textos de: PAULO FONTENELLE DE ARAUJO
Busca Geral:
     
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!

 
Imprimir Texto
Total Votos: 0
Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

EXPOSIÇÕES


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Os mortos têm alguma dignidade
porque não falam.
Não fale,
não elogie, não critique, não exponha,
não avise.
Se te perguntarem algo,
responda porque você está vivo.
Se estiver entre amigos sinceros
algum discurso é permitido,
pois aqui o excesso é desculpável.
Fora esses dois momentos,
mantenha-se calado.
Não fale,
muitos falantes morreram com essa cruz:
falar do que imaginam.
Outros amarrados em fogueiras,
morreram de boca aberta
ainda tentando se expor.
Não fale,
principalmente a estupidez
da proposta amorosa.
Estúpida, mas esperançosa
e aqui a esperança exige apenas
mudez e silêncio íntimo.
Não fale sobre o seu passado,
muito menos do presente
e do improvável futuro.
Esta ânsia de fato não interessa,
sobre você poderá cair
o ridículo da hora errada
do boato seguinte
ou pior ainda da falsa reputação.
Fique quieto, escute, sorria.
Seja visivelmente tímido
e se quiser optar por algo burlesco,
cante ou escreva.

Do livro: As sondas amam

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login.
Total de visualização: 16
[ 30 ] Texto
Votos Poesia Leitura Publicação
0 FORA DO PADRÃO 53 17/04/2019
0 20 DE JANEIRO DE 1983 123 05/04/2019
0 SINÔNIMOS: MERETRIZ, PIRANHA OU TOLERADA? 49 04/04/2019
0 AMOR ATO DEZESSETE 78 03/04/2019
0 OUTRO POEMA DE AMOR 83 29/03/2019
0 ANDANDO PELO CALÇADÃO 78 27/03/2019
0 NINHOS AO MEIO-DIA 65 25/03/2019
0 NO MEIO DE UM DOMINGO DE SOL 61 24/03/2019
0 AMOR ATO DEZESSEIS 126 23/03/2019
0 A MULHER DO LOUCO 87 22/03/2019
0 OS RETRATOS 55 22/03/2019
0 TRÊS OLHARES POSSÍVEIS 45 21/03/2019
0 ENTRE A BALA E A BORBOLETA 52 21/03/2019
0 MARCAS COLORIDAS 62 20/03/2019
0 SAUDADE ATO DEZESSEIS 57 20/03/2019
0 PARA OUTRO IDOSO 53 19/03/2019
0 A MÚMIA 104 18/03/2019
0 SAUDADE ATO QUINZE 62 10/03/2019
0 REMATE FILOSÓFICO 91 02/03/2019
0 O MORTO APAIXONADO 74 01/03/2019
0 SONHOS DO PASSAGEIRO XIS 69 01/03/2019
0 COMBINAÇÕES 82 27/02/2019
0 CHUVAS NO JARDIM-BOTÂNICO 75 24/02/2019
0 DUAS HISTÓRIAS 78 23/02/2019
0 FELINAS NA CHUVA 73 23/02/2019
0 MOMENTOS DE AMOR 93 20/02/2019
0 TRÊS OLHARES POSSÍVEIS 93 09/02/2019
0 AMOR ATO OITO 112 04/02/2019
0 AMOR ATO UM 126 31/01/2019
0 A FORMIGA ALHEIA 122 28/01/2019