Total Visualizações: 4212
Texto mais lido:
A puta que existe em mim. - Total: 2626

Amigos Recentes

74 ANA CLAUDIA SANTOS DE LIMA BRAGA391 FRANCISCO DE ASSIS SILVA3 JÚLIO CÉSAR DE ALMEIDA VIDAL385 ANDRADE JORGE1 CLÁUDIO JOAQUIM DOS SANTOS BRAGA284 MARLI  FIORENTIN2 ANA PAULA SANTOS
Meus amigos...
Foto de Capa Efuturo SRTA. AMARIA 380
Todos os textos de: SRTA. AMARIA
Busca Geral:
     
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!

 
Imprimir Texto
Total Votos: 0

Deixe-me encontrar-me.


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Apenas abri os olhos e ele ainda estava lá. Seu sono era profundo, o que já era de se esperar depois de um dos dias mais cansativos que já tivemos. Levantei da cama, tentando ser o mais cuidadosa possível para não acordá-lo. Me arrumei, decidindo partir naquele mesmo momento. Talvez fosse covardia, mas eu não tinha coragem de dizê-lo a verdade assim, logo de cara... logo depois do que rolou entre nós. Escrevi uma carta. Talvez fosse menos pior, receber a notícia por mim de uma forma não tão direta.

“Me desculpa ir embora assim, sem nem ao menos avisar para onde fui. Não queria partir e te deixar partido, mas não tinha jeito melhor de deixar uma marca na sua vida. Eu sou um furacão mesmo, chego levando tudo pelos ares e vou-me deixando todos os destroços espalhados pelo campo. Não queria que fosse assim, queria sim que fosse calmaria, rotina e segurança, só que as mudanças dentro de mim ocorrem rápidas demais para você suportar. Me desculpa por ter vivido os melhores momentos e ter ido sem prazo de volta. Mas eu juro, eu volto quando me encontrar.“

Enfiei-a em um envelope que estava na minha bolsa e o deixei em cima da cômoda do quarto. Olhei pela última vez para ele... aquele momento doeu. Doeu ter que abrir mão de tudo. Doeu ter que abrir mão de nós. Com o coração nas mãos atravessei a porta, e nos meus pensamentos, o disse: “isso não é um adeus, é apenas um até logo, eu juro“.

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login.
Total de visualização: 410
[ 5 ] Texto
Votos Poesia Leitura Publicação
1 Leitura para MAIORES DE 18 ANOS
A puta que existe em mim.
2626 18/03/2018
1 Não queremos ser mais uma. 379 18/03/2018
0 Deixe-me encontrar-me. 410 18/03/2018
1 Um amor de guarda-chuva 367 18/03/2018
0 Aquele aDeus que não pude dar. 430 18/03/2018