Total Visualizações: 11954
Texto mais lido:
Alicia - Total: 710

Amigos Recentes

1121 THALYA SANTOS622 SANTO VANDINHO613 SEDNAN MOURA587 RODRIGO GIOVANI BORCHARDT477 ADEMYR BORTOT401 DÉCIO MACHADO450 WILLIAM VICENTE BORGES499 JOÃO DOMINGOS SOARES DE OLIVEIRA
Meus amigos...
Efuturo: Banner inicial para personalizar. 468 Todos os textos de: HÉLIO BACELAR
Busca Geral:
     
DICA: Utilize o botão COMPARTILHAR (do facebook em azul) ou o LINK CURTO que disponibilizamos logo abaixo desse botão para compartilhar seu TALENTO nas Redes Sociais, compartilhando com mais fãs e leitores de toda parte do Mundo Virtual. Esse recurso foi desenvolvido para ajudar na divulgação de seus textos. USE SEMPRE QUE DESEJAR!

 
Imprimir Texto
Total Votos: 0
Anote esse link curto de seu texto e divulgue nas redes sociais.

O Encantador de Burros


*** Faça o seu Login e envie esse texto por email ***

Pedro foi incumbido de cuidar dos burros da família Silva!
Rebanho de bom tamanho, com burros muitos, de muitas distintas facetas, no tocante ao biótipo, mas burros..., apenas burros!
Castos, simples e inocentes burros!
Imaginou Pedro, ser fácil equacionar o pastar da animália: burros nada pensam; burros são fáceis de serem conduzidos; burros são colocados a pastar e pouco trabalho vai ser, apenas observá-los pastar!
Na pastaria Pedro se surpreendeu, pois, cada burro tinha vontade própria. Ainda que pouca massa craniana, cada burro fazia sua própria escolha e, óbvio que cada um deles tinha preferência quanto ao tipo de pastio; quanto à qualidade do que avaliam o ideal a pastar.
Entontecido por tanta diversidade, de pensamento muar, Pedro imaginou um jeito de ser menos trabalhoso cuidar de tantos muitos burros.
Pedro juntou uma grande quantidade de capim em um único ponto e deu-se ao trabalho de encantar os burros, com afagos, boas falas e punhados de capim, diretos nas bocarras.
Aos poucos Pedro juntou a burrama em um único ponto do pasto, lhes dava punhados de capim e lhes fazia agrados, sempre com falas mansas e pôs cabresto, burro a burro: todos foram encabrestados e empencado em um único grupo.
Os burros, encabrestados em pacote único, atados uns aos outros, cegamente, seguiam Pedro para onde eram puxados e quando era da sua vontade.
Assim, Pedro se regala à sombra, ao tempo que os burros pastam felizes, a mercê da veleidade de Pedro, que encantou os burros e encontrou uma maneira de os fazer seguir ordens, sem nem perceberem que são ordens.

 
   
Comente o texto do autor. Para isso, faça seu login.
Total de visualização: 322
[ 30 ] Texto
Votos Poesia Leitura Publicação
0 Desesperação 68 22/08/2020
0 Cupido 39 22/08/2020
0 Singularidade 35 22/08/2020
0 Como falar de flores?? 41 22/08/2020
0 Triste fim 29 22/08/2020
0 Os muitos nomes da VAGINA 447 17/09/2019
0 O Encantador de Burros 322 04/08/2019
0 Ode ao Soldado Vicente 291 04/08/2019
0 Chiquinho Kamikaze 456 23/10/2018
0 A Vista da Laje da minha Casa 366 23/10/2018
0 ..., e a lua espiando a vida, e a vida espiando a lua! 557 20/06/2018
0 O Príncipe Negro - capítulo 1 - O Nada Grande 507 19/06/2018
0 Pós-coito 537 27/04/2018
0 Porteira 559 23/04/2018
0 Janelas 514 23/04/2018
0 Janela 406 23/04/2018
0 ? 461 23/04/2018
0 Adivinhatória 468 23/04/2018
0 ..., e o Silêncio serve de Amém! 462 23/04/2018
0 Cupido 488 23/04/2018
0 Carnal 399 23/04/2018
0 Autópsia 403 23/04/2018
0 O mar e a mirra 412 23/04/2018
0 A Lua! 410 23/04/2018
0 Alicia 710 08/04/2018
1 Tua presença 415 01/04/2018
1 Entre o vinho e o batom 485 01/04/2018
2 Tatuagem 408 01/04/2018
2 Perfume 428 01/04/2018
0 O Silêncio e a Dúvida 428 01/04/2018